Portal Pinzón | O seu portal de Pernambuco

Pernambuco - Brasil

Terça, 20 de Novembro 2018.



RECIFE

22/08/2018 14:03:26

Banheiros da Praia de Boa Viagem têm água contaminada

UFPE coletou amostras com microrganismos de fezes humanas,urina e muito sal

(FOTO: UFPE/DIVULGAÇÃO)

Uma pesquisa da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) alerta para a má qualidade da água de chuveirões e banheiros públicos da orla de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. Amostras detectaram contaminação por microrganismos provenientes de fezes humanas e traços de urina. O estudo constata, ainda, excesso de sal e aponta risco de transmissão de doenças.

Esses fatores levaram as autoras da pesquisa a orientar que a população não use dois banheiros e dois chuveirões no trecho da Avenida Boa Viagem, entre as Ruas Félix de Brito Melo e Padre Bernardino Pessoa, áreas de grande movimento de banhistas.

A pesquisa foi feita pela aluna do curso de iniciação científica em farmácia Luísa Almeida. Ela teve a orientação da professora Silvana Calado, do Departamento de Engenharia Química.

O nome do estudo, apresentado no 58º Congresso Brasileiro de Química, no Maranhão, é: "Investigação das águas utilizadas nos chuveirões e banheiros da orla da praia de Boa Viagem-Recife/PE."

De acordo com Luísa Almeida, a pesquisa também mostra que essa água contaminada e salgada sai da mesma fonte para os banheiros e chuveirões nos dois trechos distintos. "Essa água vem do lençol freático. As amostras apresentam valores físico-químicos semelhantes", atestou.

De acordo com a pesquisa, foram analisados os parâmetros de nitrato, salinidade, sólidos totais dissolvidos, coliformes totais e Escherichia coli. O trabalho seguiu a metodologia internacional (Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater).

Luísa apontou que os valores físico-químicos de nitratos e salinidade estão acima do que é proposto pelas legislações de águas salobras e água potável, exceto sólidos totais para águas potáveis.

"A água encontrada nos chuveirões e nos banheiros tem mais sal do que a água do mar", afirmou.

Em relação aos parâmetros microbiológicos, foi registrada irregularidade e descumprimento de legislações em vigor. A pesquisadora reforça que essa contaminação pode provocar doenças gastrointestinais. "Também pode causar cólera, febre tifoide e leptospirose", exemplificou.

Luída Almeida ressalta que a água dos banheiros deveria ser potável. Ou seja, ser fornecida 

Luída Almeida ressalta que a água dos banheiros deveria ser potável. Ou seja, ser fornecida por companhia de abastecimento. "Na época da construção, não fizeram a estrutura compatível para receber a água do sistema convencional de abastecimento", observou.

Segundo a estudante, a pesquisa foi feita para comparar os parâmetros atuais com os que foram verificados em um estudo realizado nos banheiros e chuveiros da orla de Boia Vuiagem, em 2014.

Ela salienta que foi constatado outro grave problema: a instalação de chuveirões sem fiscalização das autoridades, apesar de uma ação do Minsitério Público de Pernambuco (MPPE), que recomendou providências, há quase quatro anos.

"Em 2014, fizemos um levantamento em toda a praia e registrados a presença de 78 chuveirões. Agora, encontramos 76, mas são 22 antigos e 54 novos. Ou seja, colocaram mais chuveiros na orla e ninguém tomou providência", declarou.

Ministério Público

Por meio de nota, o MPPE informou que a promotora Liliane Rocha recebeu os resultados da nova pesquisa e vai remetê-los para a Justiça. O objetivo é anexar ao material que consta na ação civil pública impetrada em 2105.

Na época, o MPPE requereu que a prefeitura tomasse providências para evitar o risco à saúde de quem usa os banheiros e chuveirões na orla.

Em junho deste ano, o MPPE solicitou que o Judiciário enviasse um ofício à UFPE e cobrasse dados atualizados sobre o estudo dos chuveirões e banheiros.

A promotoria também pediu ao Judiciário o envio de ofício à Vigilância Ambiental da capital para providenciar relatórios sobre a qualidade da água.

Resposta

A Diretoria Executiva de Controle Urbano (Dircon) informou, por meio de nota, que, em outubro de 2016, desativou 47 pontos de abastecimento de água instalados na orla. Disse, ainda, que realiza rondas periódicas em toda a extensão da praia para garantir que os pontos interditados não voltem a ser utilizados.

No texto enviado pela Prefeitura do Recife, a Vigilância Ambiental informou realiza aos domingos um monitoramento e controle da balneabilidade e das condições da água utilizada na orla. São coletadas amostras da água dos chuveiros, torneiras, do mar e de areia, segundo a administração municipal.

Fonte: G1PE





Comente esta notícia

Indique a um amigo

*Preenchimento obrigatório


© 2000 - 2013. pinzon.com.br | Todos os direitos reservados.

by nuvon | www.nuvon.com.br