Ação Consciente, é o artigo de Paulo Eduardo de Barros Fonseca

0
Paulo Eduardo de Barros Fonseca é vice-presidente do Conselho Curador da Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho, mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Ação Consciente

Paulo Eduardo de Barros Fonseca

O cenário político para as próximas eleições municipais está posto e, como regra, se tem a nítida percepção de que o previsível se sedimentou. O discurso é o mesmo já ouvido em outros pleitos e, aparentemente, inexiste qualquer componente que possa impulsionar novas lideranças.

O modelo polarizado pela “velha política” dificulta a entrada de novos cidadãos na política e, de algum modo, transforma-se em descrença em nós mesmos, como povo e sociedade. Desafiando o princípio democrático do irrestrito respeito ao estado de direito, em prol do resguardo de interesses nem sempre lícitos, não raro, atitudes ilegais são justificadas na lei, o que acaba por ensejar que a crise vivida em nosso país, antes de ser política, econômica ou social, seja moral.

Essa situação gera preocupações, enfraquece a estabilidade das instituições republicanas e o pacto social, especialmente quanto às realidades políticas, sociais e culturais, bem como contribui para que prospere o perigoso desencanto pela falta de perspectiva.

Mas, não se pode perder de vista que as eleições oportunizam a todo cidadão a possibilidade de ajudar na formação de uma nova ordem social fundada no direito e no amor – no ágape – desde que o dever cívico do exercício do voto seja praticado com responsabilidade.

Essa é uma oportunidade em que o indivíduo tem condições de influenciar de modo significativo no coletivo, ajudando na transformação e evolução da sociedade, notadamente escolhendo o justo para governar.

Por isso o exercício da cidadania deve refletir uma ação consciente na busca de uma ordem social que leve em conta os princípios cristãos e, consequentemente, privilegie o bem comum e não o interesse pessoal daquele que irá governar. Kardec já afirmou, em Livro dos Espíritos, Questão 930, que “… quando (o homem) praticar a Lei de Deus, terá uma ordem social fundada na justiça e na solidariedade e ele próprio será melhor”.

Efetivamente, este é um momento significativo para ajudar na transformação da sociedade e todos precisam estar conscientes da importância do ato que em breve vão praticar.

Aproxima-se o tempo em que se cumprirão as coisas anunciadas para a transformação da humanidade (in O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. XX, item 5º, ), portanto, exerça o dever cívico e a ação consciente de votar com responsabilidade, depositando seu voto naquele que trabalhará pelo bem comum e, assim, você estará ajudando na construção de uma sociedade mais justa e perfeita.

A transformação do planeta depende da ação dos bons!

Paulo Eduardo de Barros Fonseca é vice-presidente do Conselho Curador da Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho, mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here