PIX já movimentou cerca de R$ 510 milhões em transações do Sicredi, no Vale do São Francisco

0

O sistema de pagamento PIX completou um ano no Brasil em novembro último com mais de 1.6 bilhão de transações realizadas, e movimentando quase R$ 4 trilhões

Na região Nordeste, a ferramenta financeira mais popular do País segundo o Banco Central, movimentou   mais de R$ 10,6 bilhões e aqui na região, com ênfase para as cidades de Petrolina – PE e Juazeiro – BA, somente as transações realizadas pelo Sicredi Vale do São Francisco alcançaram a cifra de aproximadamente R$ 510 milhões.

Um desempenho surpreendente e inédito no segmento financeiro nacional, de acordo com o diretor executivo do Sicredi Vale do São Francisco, Albérico Pena. “O PIX superou as transações realizadas por boletos, TEDs, DOCs e cheques somadas. As ferramentas PIX Saque e PIX Troco, lançadas recentemente, também já se destacam com uma ótima aceitação da população”, acrescentou.

Pioneira no cooperativismo de crédito no país, o Sicredi movimentou mais de R$ 10,6 bilhões em um ano, somente entre suas agências no Nordeste e no Pará, no Norte, totalizando mais de 10,7 milhões de transações com ticket médio geral de R$ 989,97. Estas operações podem ser realizadas por qualquer pessoa por meio do internet banking ou aplicativo para celular.

“O PIX chegou num momento oportuno, cujos valores do cooperativismo estavam sendo tomados, ainda mais, como balizadores para as relações de consumo. A tecnologia move o mundo e a pandemia potencializou o uso dos canais digitais, adaptados aos novos hábitos e formas de consumir. As nossas cooperativas se preparam para esse cenário e para as necessidades dos associados, cada vez mais interessados num atendimento personalizado”, explica Ricardo Passos, Diretor de Desenvolvimento da Central Sicredi Norte/Nordeste.

Essa adesão tão alta da população ao PIX é reflexo da democratização do acesso a procedimentos financeiros provocada pelo sistema. No PIX, em vez de completar uma série de campos com informações dos usuários, basta utilizar a “chave” cadastrada pelo usuário – como o número de celular, e-mail, CPF, chave aleatória ou captura do QR Code – para que a transação seja realizada. E é justamente essa praticidade do sistema que permitiu sua rápida disseminação, como afirma Passos.

Apesar das vantagens, é preciso também ficar atento a algumas dicas para evitar golpes e fraudes utilizando o sistema. O Banco Central já estabeleceu um limite de mil reais para transferências realizadas entre 20h e 6h. É preciso estar atento aos dados bancários na hora de fazer a transferência ou pagamento, além de checar sempre qualquer transferência realizada por QR Code. 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here