Sindicato dos Professores do Paulista, promove a Primeira Conferência de Educação Especial no município

0

De acordo com o SINPROP, a rede municipal do Paulista, em 2022, contava com cerca de 300 crianças com deficiência (PcDs) sem atendimento especializado

Reforçar os direitos assegurados na legislação e conscientizar sobre a urgência da garantia de acessibilidade e educação inclusiva nas escolas municipais, foi o assunto debatido na primeira Conferência de Educação Especial do Paulista, na manhã desta segunda-feira (23). O evento teve como palestrante a professora e psicopedagoga Valquíria Costa, que tem uma vasta experiência na educação especial e contou com a participação de pais, responsáveis,  professores da rede escolar do município e autoridades.

De acordo com o SINPROP, a rede municipal do Paulista, em 2022, contava com cerca de 300 crianças com deficiência (PcDs) sem atendimento especializado, o que prejudicou a aprendizagem e gerou retira dezenas de crianças com deficiência (PcDs) das salas de aula.   “Nós esperamos que haja a educação inclusiva, que trate a criança PcD junto aos outros estudantes, além disso é importante que ultrapasse o chão da sala de aula, que vá para as formações continuadas e toda a equipe da Rede municipal e da rede estadual,  porque não é só o profissional de educação especial que lida com a criança, também tem outro profissional que tá em sala e ele tem que ter condições de acolher aquela criança”, comentou Gilberto Sabino, presidente do SINPROP.

Maria Luciene Bezerra, mãe de uma criança com Transtorno do Espectro Autista (TEA), relata que teve que matricular o filho em uma instituição em outro município por conta da falta de atendimento especializado no Paulista, “É difícil pegar o ônibus, às vezes chegamos um pouco atrasados, mas para mim é muito gratificante, porque estou vendo que onde meu filho está estudando. Aqui em Paulista em respeito à escola tá zero, aqui tudo é difícil para as mães, tudo o que a gente precisa para uma criança especial não tem em Paulista”, contou.

Também esteve presente na conferência o vereador do Paulista Fabiano Paz (PSB), ao ser perguntado em relação às medidas tomadas pela câmara do município em relação à situação dos alunos sem atendimento especializado, o vereador afirmou que a Rede de Ensino do Paulista não tem condições de receber os alunos. “Nossa luta na câmara é constante, buscando melhorias na rede de ensino em toda a cidade para que a gente possa oferecer um ensino de qualidade de uma forma adequada, uma coisa que hoje está deixando a desejar, hoje a rede não está preparada e não tem condições de receber esses alunos”, afirmou Fabiano Paz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here