Startup do Porto Digital é comprada por grupo farmacêutico bilionário, para ser braço tecnológico em revolução digital de saúde

0
Fábio Revorêdo, Fred e Flávio Rabêlo TI Saude / Foto: Carlos Ezequiel

Referência no desenvolvimento de sistemas e aplicações, a pernambucana TI Saúde foi adquirida pelo Grupo DPSP, detentor das Drogarias Pacheco e São Paulo

A startup pernambucana do Porto Digital, TI Saúde, em um modelo inédito de negócio foi adquirida pelo Grupo DPSP, que controla as Drogarias Pacheco e São Paulo, a maior empresa de capital fechado do Brasil, com faturamento de mais de 1 bilhão/mês e crescimento de mais de 13% no último ano. O objetivo, com a aquisição, será o de criar o maior e melhor ecossistema físico e digital de saúde do país, com investimentos de mais de meio bilhão de reais e que promete revolucionar e democratizar o acesso à medicina para quem hoje depende do SUS.

Tudo irá acontecer por meio de uma plataforma, chamada Viva Saúde, onde será agregado em um único sistema médicos, laboratórios, planos de saúde, hospitais e clientes, este último, com foco nos 75% que não possuem atendimento privado. Com isso, a meta gira em interligar 10 milhões de clientes e 150 mil médicos em cinco anos, nos quatro cantos do país.

A ferramenta, quando estiver em funcionamento, vai possibilitar a realização de teleconsultas, marcação de exames, criação de prontuário eletrônico e até a comparação de preços de medicamentos e receber informações. Além disso, por se tratar de uma proposta de interface aberta e livres para concorrentes, caso o cliente deseje, poderá compartilhar seus históricos médicos, permitindo com isso uma customização de serviços oferecidos por cada núcleo que faça parte do ecossistema, seja farmácias, médicos, clínicas ou até hospitais.

“A TI Saúde nasceu no Recife com foco no desenvolvimento de sistemas para interligar processos médicos e de pacientes. Toda nossa experiência agora será expandida numa ferramenta que chega para quebrar os precedentes que dificultam acesso à saúde e garantir, principalmente no período de pandemia que estamos vivendo, o acesso rápido, prático e democrático desses serviços”, destaca Fábio Revoredo, co-fundador e Diretor de Estratégias Médicas da Ti.Saúde.

Para Fred Rabêlo, co-fundador e CEO/CTO da TI Saúde o mundo vive hoje uma verdadeira transformação digital, caminho também seguido pela área da saúde. “Hoje tudo parte dos sistemas, dos aplicativos, e é hora de fazer isso ajudar muito na vida das pessoas, com foco ainda maior em quem tá longe dos serviços convencionais, seja por questão econômica, por dificuldade de acesso ou até por falta de tempo”, completa.

TI Saúde

A compra de TI Saúde pelo Grupo DPSP aconteceu como uma estratégia de expansão do conglomerado que aposta na criação de um ecossistema digital de saúde. Atualmente, o grupo detém 1.393 unidades de farmácias, entre as bandeiras Drogaria São Paulo e Drogarias Pacheco e 26 mil funcionários.

No mercado há cinco anos, a TI Saúde, fundada pelos irmãos Fred, Flávio e Fábio, respectivamente, engenheiro de sistemas, advogado e médico, atualmente conta com cerca de 50 funcionários, número que vai dobrar ainda em 2022. Hoje, mais de dez mil profissionais de saúde utilizam plataformas desenvolvidas pela empresa, que reúne ainda mais de 5 milhões de pacientes ativos e mais de 11 milhões de prontuários e prescrições.

A aquisição surge após outros investimentos, como o do grupo SAINTS, ainda em 2017, e o da Noxtec, em 2020, e de importantes incubações e acelerações, como o Eretz.bio, do Hospital Albert Einstein, o Cubo Itaú e o selo Endeavor Brasil Scale-UP.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here