Recife é destaque no Congresso Internacional Lixo Zero, em Brasília

0

Prefeito João Campos participou da abertura do evento, levando os bons exemplos da capital pernambucana

Os bons exemplos de políticas sustentáveis do Recife foram destaque no Congresso Internacional Lixo Zero, que acontece entre os dias 22 e 24 de junho, em Brasília, no Distrito Federal. O prefeito João Campos discursou na abertura do evento nesta terça-feira (22), contando como a cidade tem feito do meio ambiente uma das principais agendas da gestão.

“A gente está aqui participando de um congresso internacional que traz para o debate temas tão importantes e que nos fazem ter consciência da responsabilidade e do impacto de uma decisão tomada. Tive a oportunidade de, na semana passada, lançar o Eco Recife, que teve como primeira iniciativa a proibição da compra por parte da prefeitura de material descartável. Para a gente reivindicar, para cobrar, para pedir ao cidadão, primeiro a gente tem que dar o exemplo, fazer a nossa parte”, argumentou João Campos. A gente fez essa iniciativa porque tem certeza que é possível construir uma cidade mais inclusiva, que pense no futuro e preserve o meio ambiente”, completou.

O prefeito do Recife ainda destacou os números da Ação Inverno na capital, que já recolheu de rios e canais da cidade mais de 50 mil toneladas de lixo, a maior parte material plástico.

João Campos também reforçou que a cidade faz parte do Iclei – organização de Governos Locais pela Sustentabilidade –  e que o Recife firmou junto à Organização das Nações Unidas (ONU) o pacto de zerar as emissões de gases poluentes até 2050. “Mais do que ações isoladas, o que estamos fazendo é criar a cultura do cuidado, mobilizando as pessoas e a nossa juventude. Todo mundo fala de futuro, porque é o lugar que a gente quer viver, construir nossas famílias em um lugar mais justo, igualitário. Mas a responsabilidade passa pelas nossas mãos também. Não se pode colocar apenas no poder público a responsabilidade de agir, precisa ativar terceiro setor, a sociedade civil”, defendeu o gestor.

POLÍTICAS AMBIENTAIS – Sancionada em abril de 2014, a Política de Sustentabilidade e de Enfrentamento das Mudanças Climáticas do Recife (Lei Nº 18.011/2014) estabelece instrumentos para a implementação em nível municipal de ações sustentáveis e de enfrentamento ao fenômeno do aquecimento global. Entre suas diretrizes estão o aumento da permeabilidade do solo e o combate à formação de ilhas de calor; a arborização urbana; uso de lâmpadas Led na iluminação pública; instalação de usinas de micro geração de energia fotovoltaica em equipamentos públicos da cidade; e a gestão de resíduos, que representa uma parcela considerável das emissões de CO2 do Recife.

A capital pernambucana foi a primeira capital brasileira a reconhecer o estado de emergência climática global na abertura da 1ª Conferência Brasileira de Mudança do Clima, realizada na nossa cidade em 2019, através da publicação de um decreto que ainda estabeleceu que o Recife será uma cidade neutra em Carbono até 2050.

O Recife instituiu na agenda municipal a “Semana Municipal do Lixo Zero”, realizada no fim de outubro. Além disso, criou o Programa Recicla Mais, para estimular a coleta seletiva, com feiras itinerantes em comunidades. Por fim, a população do Recife conta com sete Ecoestações distribuídas em pontos estratégicos da cidade. As Ecoestações são pontos de recebimento de resíduos, cujo objetivo é oferecer uma alternativa à população para o descarte de móveis velhos, resíduos de pequenas obras residenciais e outros materiais, com volume de até 1m3/dia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here