UFPE celebra centenário do curso de graduação em Medicina

0

Evento contou com a presença de convidados e autoridades, exibição de vídeo comemorativo, apresentação musical e duas palestras

O centenário da graduação em Medicina da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) foi comemorado na manhã de hoje (3), com um evento remoto transmitido pelo YouTube, que contou com a presença de convidados e autoridades, exibição de vídeo comemorativo, apresentação musical e duas palestras. “A faculdade tem uma história bonita no passado e no presente, além de um futuro desafiador”, afirmou o professor Silvio Caldas, diretor do Centro de Ciências Médicas (CCM), que está completando dois anos de existência.

O superintendente do Hospital das Clínicas (HC), Luiz Alberto Mattos, afirmou que o HC tem a intenção de manter a integração com o curso da forma mais profícua possível. “A UFPE forma cidadãos críticos e capazes de responder às demandas da sociedade. São médicos que fazem a diferença na vida das pessoas, principalmente das mais humildes”, ressaltou. Representando os técnicos administrativos, a servidora Taciana Moraes destacou que a gestão do CCM reconhece o importante papel desse segmento.

Representando os alunos do curso, o estudante Adamo Pinheiro de Carvalho, do Diretório Acadêmico de Medicina Umberto Câmara Neto (Damuc), frisou a importância de educar os médicos com humanidade. “Não tratamos doenças, mas sim pessoas que estão doentes”, disse, reafirmando a importância do cuidado interdisciplinar e dos valores baseados na dignidade das pessoas. Para ele, a composição do corpo discente hoje representa melhor a realidade do país. “É necessário disposição para ouvir e aprender sempre”, lembrou.

“O curso está cada vez mais comprometido em combater as desigualdades no país”, afirmou o reitor Alfredo Gomes, para quem a Medicina tem papel fundamental na reafirmação da importância da universidade pública. “É um dos grandes pilares da nossa UFPE”, falou o vice-reitor Moacyr Araújo, enumerando como características do curso o respeito pela população, com atenção especial aos mais vulneráveis, e o compromisso com a vida.

O ex-reitor Anísio Brasileiro, em cuja gestão o CCM foi inaugurado, apresentou um breve histórico da criação do centro, enfatizando pontos como a mudança no modelo de gestão da Medicina, a reafirmação da identidade do curso, a noção de pertencimento dos estudantes e a integração com o Sistema Único de Saúde (SUS). O professor emérito Silvio Romero Marques, ex-vice-reitor da UFPE, em sua palestra “Centro de Ciências Médicas – A História de um Resgate”, lembrou as dificuldades encontradas até a criação do CCM.

O presidente do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe), Mário Fernando Lins, colocou o conselho à disposição para apoiar o curso e falou sobre a necessidade de respeitar o próximo – sempre, mas, mais do que nunca com a pandemia, buscando seguir as orientações das autoridades sanitárias. Representando a Secretaria de Saúde de Pernambuco, Ricarda Samara defendeu uma saúde de qualidade para atender à população de forma ampla. O professor Hildo Azevedo, presidente da Academia Pernambucana de Medicina, realizou a palestra “A Academia Pernambucana de Medicina: Continuação do Ideário de Octávio de Freitas”, falando sobre a importância de lembrar daqueles que nos antecederam.

CURSO – Atualmente, 838 estudantes estão vinculados à graduação em Medicina do Campus Recife da UFPE e cerca de 230 docentes atuam no curso. São ofertadas 140 vagas anuais para novos alunos. Saiba mais sobre a história do curso. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here