Movimento “A ORDEM É RENOVAR”, pede suspensão de execuções ajuizadas contra advogados, pela OAB/PE, durante a pandemia

0
Movimento é representado pelos advogados Almir Reis e Fernanda Resende.

Ano passado, foram ajuizadas pela OAB-PE, 1.833 execuções de títulos extrajudiciais, decorrentes de atraso no pagamento das anuidades. De janeiro a maio deste ano, o número de execuções já ultrapassa a marca de 1.300

O Movimento “A ORDEM É RENOVAR” – representado pelos advogados Almir Reis e Fernanda Resende – deu entrada, na à tarde desta quarta-feira(23), em um pedido de suspensão das ações de execução, ajuizadas pela OAB-PE, contra os advogados que atrasaram o pagamento da anuidade.

O documento foi protocolado pessoalmente na OAB-PE. Com essa solicitação, a intenção é que a categoria consiga se restabelecer dos reflexos da pandemia e, assim, possa honrar novamente seus compromissos junto à OAB/PE, sem necessidade de constrangimento do advogado que esteja eventualmente inadimplente.

“Entendemos que a cobrança é legal, mas precisamos compreender a situação de dificuldade financeira atravessada pela advocacia pernambucana, o que foi agravado pela pandemia. Precisamos dar o exemplo de sensibilidade com o próximo, o que repercute positivamente em toda sociedade”, argumentou o líder do Movimento a Ordem é Renovar, Almir Reis.

Execuções

Ano passado, foram ajuizadas pela OAB-PE 1.833 execuções de títulos extrajudiciais, decorrentes de atraso no pagamento das anuidades. De janeiro a maio deste ano, o número de execuções já ultrapassa a marca de 1.300. Os dados foram apurados no site Justiça Federal de Pernambuco.

A OAB-PE também tem solicitado nas cobranças a penhora de bens dos advogados inadimplentes, além da inscrição do nome destes advogados no Cadastro Nacional de Inadimplentes, através do sistema SERASAJUD.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here