PAULISTA: Yves Ribeiro comprova legado e experiência no último debate contra o seu opositor

0

Segundo a cientista política, Priscila Lapa, Yves tem um legado e mostra um profundo conhecimento sobre a cidade.

Nesta quarta-feira (25), o candidato Yves Ribeiro (MDB), participou de um debate ao vivo na Rádio Jornal, onde enfrentou seu opositor, Francisco Padilha (PSB). Os candidatos falaram o que pretendem fazer nas áreas como saúde, educação, habitação, segurança pública e mobilidade. Durante o debate, Yves reforçou sua narrativa sempre mostrando a experiência como gestor e conhecedor dos problemas de Paulista. Vale destacar também que em sua fala, Yves fez um balanço de todos os seus feitos sincronizando com suas propostas de governo.

No decorrer do debate, Yves fez questão de mencionar que ao contrário do seu opositor, não é indicado por políticos que estão no poder: “Não sou candidato do governador, sou candidato do povo. Desde o começo liderei as pesquisas, fui prefeito de Paulista e junto com o governo do estado construí um hospital. Vamos tratar os nossos funcionários como eu sempre tratei, com carinho e dedicação, vamos trazer a robótica na escola, vamos implantar os tablets para todos os alunos, tirar Paulista das páginas policiais”, falou Yves.

Padilha é o candidato da situação, do prefeito Junior Matuto (PSB), que já foi afastado duas vezes do cargo, após ter sido alvo de operações policiais por suspeita de crimes de peculato e lavagem de dinheiro.

Após o debate, a cientista política Priscila Lapa, fez suas considerações, onde destacou o clima político muito difícil que o município passa, com o afastamento do atual prefeito por duas vezes, e ainda mais sendo a primeira eleição que vai para o segundo turno em Paulista, cidade que tem uma relevância econômica muito grande na região metropolitana. E destacou que, “o que salta os olhos no debate, é essa ideia de que o candidato Yves Ribeiro tenta resgatar como ele entregou a cidade para a atual gestão e mostra claramente um rompimento político com o PSB. Já o candidato da situação, Francisco Padilha, se mostra como novidade, mas ao mesmo tempo é a continuidade de um projeto político que tem seus problemas e que tem um desgaste natural de oito anos de gestão, acrescentado com essa prestação de contas com a justiça.”

Legado de Yves Ribeiro

Sobre a acusação de Yves ser chamado de forasteiro, ela diz que “ninguém migra de domicílio eleitoral e tem sucesso nas eleições, se não tiver o mínimo de competência política pra fazer isso, então ele tem um legado. Ele foi alguém que teve dois mandatos na cidade, ele tem o que mostrar, tem o que apontar, tem um profundo conhecimento sobre a cidade. E isso é um legado que ele resgata que em momentos de crise, isso pode ser interessante, é uma narrativa que faz sentido para uma parte do eleitorado e resgata a ideia de confiança”.

O correspondente de Brasília, Romoaldo de Souza, em sua análise citou que “Sobre a educação, Yves destacou que foi um dos primeiros gestores a pagar o piso salarial e entregou aos professores um computador e prometeu comprar tablets para os alunos.” Sobre o opositor, Romoaldo diz que Padilha se entrega que fez parte da gestão de Matuto, quando ele fala no plural “Nós fizemos”.

Yves participa hoje de uma entrevista na TV Nova Nordeste, para o programa “Debate na Nova”, onde a população irá fazer perguntas ao candidato.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here