Advogado trabalhista explica sobre retorno de grávidas ao trabalho presencial

0
O Projeto de Lei que autoriza grávidas a retornarem ao trabalho presencial já foi encaminhado para aprovação

Após aprovação da Câmara dos Deputados, proposta será votada no
Senado

O Projeto de Lei 2058/21, que autoriza grávidas imunizadas (ou que se
recusaram a tomar a vacina) a retornarem ao trabalho presencial, foi
encaminhado para o Senado na última semana. O PL vem como atualização
de lei aprovada em 2020, que determinava o afastamento das gestantes por
conta da pandemia, por serem considerada de risco. O advogado
trabalhista João Galamba explica, porém, que o empregador pode
escolher onde a funcionária irá exercer sua função.

“A grande questão desse projeto de lei é que ele dá faculdade ao
empregador caso queira manter sua funcionária no teletrabalho ou pode
determinar o retorno, desde que ela esteja imunizada. Muitos empregados
foram afastados e receberam um decréscimo salarial. Outros recebem
horas-extras e comissões. O projeto vem para acabar com esse problema,
tanto na questão salarial quanto a imposição do empregador de ter que
bancar com o salário integral no afastamento das gestantes”, destaca
Galamba, sócio do escritório Galamba Félix Advogados.

De acordo com o advogado trabalhista Bruno Félix, caso o projeto seja
aprovado, a gestante poderá voltar ao trabalho presencial se encerrado
o estado de emergência ou após 15 dias da segunda dose. Porém, há um
ponto importante para as gestantes que se recusarem a tomar a vacina.
“Ela terá que assinar um termo de responsabilidade retornando ao
trabalho”, disse Félix, também sócio do Galamba Félix Advogados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here