Professor Daisaku Ikeda é o novo Doutor Honoris Causa pela UFPE

0
O Professor Miguel Shiratori (à dir.), representando o homenageado, recebe a honraria das mãos de Alfredo Gomes e de Moacyr Araújo (à esq.) / Foto: Luciana de Souza Leão

O homenageado foi representado no evento pelo professor Miguel Shiratori, da Brasil Soka Gakkai Internacional (BSGI)

Em reconhecimento por sua notória atuação em prol do desenvolvimento sustentável, da paz e da educação, o professor japonês Daisaku Ikeda recebeu o título de Doutor Honoris Causa da Universidade Federal de Pernambuco em cerimônia de outorga realizada, no último sábado (4), na Concha Acústica Paulo Freire, no Campus Recife da UFPE, e transmitida no YouTube da UFPE.  O homenageado foi representado no evento pelo professor Miguel Shiratori, da Brasil Soka Gakkai Internacional (BSGI). Daisaku Ikeda é mundialmente reconhecido como construtor da paz.

“Sentimo-nos honrados de estar aqui para reconhecer a trajetória e o legado de um cidadão japonês, que diligentemente representa seu país e os valores culturais do seu povo”, disse o diretor de Relações Internacionais da UFPE, Madson Góis Diniz, durante o discurso panegírico em celebração a Daisaku Ikeda.

A trajetória pessoal e o trabalho realizado pelo homenageado foram lembrados ao longo do discurso. Ikeda nasceu em Tóquio, no Japão, em 2 de janeiro de 1928, sendo o quinto de oito filhos de uma família de coletores de algas marinhas. Vivenciou as dificuldades e os dilemas da Segunda Guerra Mundial e do pós-guerra, momento de reconstrução da sociedade e de descobertas de novos sentidos. Neste contexto, deparou-se com os ideais da Associação Soka Gakkai do Japão e, mais tarde, da Soka Gakkai Internacional (SGI), uma organização não governamental constituída por Ikeda e ligada às Nações Unidas, com mais de 12 milhões de associados em mais de 200 países e territórios.

Daisaku Ikeda é filósofo, humanista, pacifista, fotógrafo e poeta laureado, formado em Ciências Políticas e Econômicas pela Universidade Fuji de Tóquio. Seu trabalho o levou a missões, fundação de instituições educacionais e culturais e reconhecimento ao redor do mundo, incluindo o Brasil. A UFPE, inclusive, acolherá, no Colégio de Aplicação (CAp), o primeiro Observatório Internacional dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz para Educação Básica. “Esse evento hoje [sábado, dia 4] lança, portanto, as bases do Observatório Internacional Daisaku Ikeda para a Educação Básica. Essa iniciativa, pioneira no seu gênero, será fundamental para debater a incorporação da Agenda 2030 e da cultura de paz nos currículos das licenciaturas e seus desdobramentos na formação de professoras e professores que atuarão no Ensino Fundamental e Ensino Médio”, explicou Diniz.

“Será igualmente um locus de sinergia para repensar e ressignificar os currículos das escolas das redes municipais e estaduais de Pernambuco, do Nordeste e quiçá do Brasil. Em outras palavras, é a projeção e consubstanciação do legado de Daisaku Ikeda na educação brasileira, tornando a sustentabilidade e a cultura de paz componentes curriculares imprescindíveis na formação de jovens. É o encontro definitivo de Paulo Freire e Ikeda nos currículos de nossas escolas”, completou ele.

Daisaku Ikeda também é um entusiasta da união entre as universidades federais do Nordeste e apoiador das ações de cooperação da Rede de Universidades Federais do Nordeste da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Rene-Andifes), por meio de parceria com a Universidade Soka, sediada em Tóquio.

O professor Miguel Shiratori transmitiu mensagem do professor Ikeda na cerimônia. “Recebo respeitosamente esta honraria, unido em coração com os estimados companheiros da Associação Brasil SGI, que vieram se empenhando, de forma sincera, por longos anos, em prol do desenvolvimento do Estado de Pernambuco e do País”, afirmou um trecho. A mensagem também ressaltou a importância da UFPE para o desenvolvimento sustentável, as ações de inclusão da instituição e os ensinamentos de Paulo Freire.

Durante o evento, o reitor da UFPE, Alfredo Gomes, proferiu o termo indagativo a Miguel Shiratori, que respondeu em nome do professor Ikeda e confirmou o aceite do título de Doutor Honoris Causa diante do público presente, e outorgou o título. A concessão do título foi decidida, por unanimidade, pelo Conselho Universitário (Consuni), em março deste ano. A proposição foi feita pelo próprio reitor.

“O Brasil e o mundo reconhecem o ativismo humanista de doutor Ikeda, pois já foi agraciado com 397 títulos acadêmicos no mundo inteiro, sendo este da UFPE o título de número 398, o qual, para nós, é motivo de muita honra, de muito orgulho”, comemorou Alfredo Gomes.

Em seu discurso, o reitor abordou quatro temas da UFPE relacionados aos ensinamentos do professor Ikeda: diversidade, fundamental para uma sociedade inclusiva e para a superação de desigualdades sociais, a exemplo das ações afirmativas; sustentabilidade ambiental, com práticas concretas para uma Universidade livre de plástico, com a diversificação da matriz energética por meio da instalação de usinas fotovoltaicas e com campanhas de conscientização; sustentabilidade econômica das universidades; e dimensão política da vida social, com o objetivo de formatar um projeto de paz e com qualidade de vida.

O vice-reitor da UFPE, Moacyr Araújo, falou sobre o reforço de ideias e de valores importantes para a sociedade no contexto atual. “Entre a guerra ou da guerra para a paz, os ensinamentos de Paulo Freire e os ensinamentos do doutor Ikeda têm muito a ver com o nosso enfrentamento diário dessa guerra que talvez seja uma das mais difíceis que nós enfrentamos, não só aqui no Brasil, mas no mundo todo, que é a redução desse grande abismo de desigualdade social”, apontou. Os dois pensadores citados têm a transformação como destacada ferramenta de atuação social.

MESA – A mesa solene foi composta pelo reitor Alfredo Gomes; pelo vice-reitor Moacyr Araújo; pela pró-reitora de Graduação da UFPE, Magna do Carmo Silva; pela pró-reitora de Pós-Graduação da UFPE, Carol Leandro; pelo reitor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Marcelo Carneiro Leão; pelo reitor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e presidente da Rene-Andifes, Josealdo Tonholo; pelo coordenador da Cecine-UFPE, Marcio Vilela; pelo professor Madson Góis Diniz; e pelo professor Miguel Shiratori.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here